As pesquisadoras Dulce Pandolfi, Luciana Heymann, Mônica Kornis e Verena Alberti ministraram conjuntamente a palestra "História e ativismo", no dia 18 de maio como parte do ciclo "Trabalho, Memórias, Movimentos". As quatro doutoras atuaram no Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC/FGV) até o início de 2018, sendo integrantes do programa de pós-graduação em História, Política e Bens Culturais.

Doutora em História pela UFF, Dulce Pandolfi tem uma longa carreira na pesquisa de identidade e história brasileiras, cidadania, movimentos sociais e partidos políticos. Foi diretora do Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (Ibase) e do Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento. Coordenou os grupos de trabalho de história oral e memória e de Biografia e Memória Social da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (Anpocs).

A historiadora Luciana Heymann é professora do programa de pós-graduação em Gestão de Documentos e Arquivos (UNIRIO) e no de Preservação e Gestão do Patrimônio Cultural das Ciências e da Saúde (Fiocruz). Como vice-presidente da Associação Brasileira de História Oral, foi editora da revista História Oral (2016-1018). Doutora em Sociologia pelo IUPERJ, Heymann desenvolve pesquisas sobre instituições de memória, políticas públicas de memória e uso do passado em contextos de luta por direitos.

Com doutorado em Artes pela USP e mestrado em Ciência Política pela Unicamp, Mônica Kornis desenvolve pesquisas sobre as relações entre cinema, televisão e história, com experiência em História do Brasil República. Kornis integra os grupos de pesquisa "História e audiovisual: circularidades e formas de comunicação e "Memórias rarefeitas: a ditadura brasileira no documentário e a disputa das imagens", ambos do CNPq.

Verena Alberti é professora adjunta da Faculdade de Educação da UERJ, onde leciona Métodos e Técnicas de Ensino de História. Autora de "Manual da história oral" e organizadora de "Histórias do movimento negro" no Brasil, Alberti é experiente no ensino de história, área na qual possui pós-doutorado pela Institute of Education of London.

Iniciativa dos professores José Sergio Leite Lopes e Beatriz Heredia, diretor e vice-diretora do CBAE, junto ao pós-doutorando do PPGAS/UFRJ Antonio Carriço, o ciclo “Trabalho, Memórias, Movimentos” aconteceu durante o primeiro semestre de 2018, com apoio da Comissão da Memória e Verdade (UFRJ).

 

 

UFRJ Colégio Brasileiro de Altos Estudos - UFRJ
Desenvolvido por: TIC/UFRJ