Construído pela Prefeitura do Rio de Janeiro, em 1922, para a Exposição Internacional que marcou as comemorações do Centenário da Independência, o prédio da Avenida Rui Barbosa, 762 funcionou como hotel durante quatro anos. Nos decênios que se seguiram, o Hotel Sete Setembro vinculou-se à vida acadêmica da cidade: entre 1926 e 1973, sediou o Internato da Escola de Enfermagem Anna Nery, da então Universidade do Brasil; e de 1973 a 1995, abrigou a Casa do Estudante Universitário (CEU). Neste último período, foi palco de inúmeros eventos que marcaram a vida política brasileira durante a transição do regime militar para a ordem democrática: aqui se reuniram partidos políticos ainda confinados à ilegalidade ou em processo de constituição, movimentos sociais organizados e o Comitê Brasileiro pela Anistia.

Localizada na encosta do Morro da Viúva, na enseada de Botafogo, na Baía de Guanabara, a edificação oferece privilegiada visão frontal do morro do Pão de Açúcar, marco da cidade.

 

Arquitetura

O conjunto arquitetônico, de estilo eclético e com área total construída superior a 5.400 m2, é constituído por duas edificações interligadas, no segundo piso, por uma passarela coberta e fechada. Marcas da história da ocupação dos dois prédios sobrevivem no conjunto, que ainda guarda a imponência e o requinte da construção original. Suas fachadas têm extensão total superior a 80 metros e a altura atinge até 25 metros, o que permite, então, através de sua última perspectiva, vislumbrar o Morro da Viúva.

A variedade dos detalhes das edificações evidencia o padrão e o cuidado com que foram originalmente tratados esses espaços. A qualidade dos acabamentos das fachadas se complementa nos desenhos internos dos pisos, nas esquadrias, nas pinturas dos salões e, mesmo, na superposição dos diversos elementos decorativos em estuque.

 

 

Revitalização

Em 2000, a UFRJ teve aprovado pelo Ministério da Cultura, nos termos da Lei Rouanet, o Projeto RB 762 – Revitalização de espaço histórico para a ciência e a cultura do Estado do Rio de Janeiro. O projeto de restauração deste precioso conjunto arquitetônico, pleno de significação histórica e simbólica, já estava voltado para reintegrar o prédio à vida intelectual da cidade, direcionando-o para atividades de pesquisa e para o desenvolvimento científico e cultural da cidade, do estado e do país.

Em outubro de 2009, com a aprovação, pelo Conselho Universitário, do Plano Diretor UFRJ-2020, ficou estabelecido que o conjunto da Avenida Rui Barbosa sediaria o Colégio Brasileiro de Altos Estudos. 

Graças ao apoio da Eletrobrás, da Petrobrás e de moradores e da Associação de Moradores do Morro da Viúva, o prédio anexo foi integralmente restaurado. Com a restauração do prédio principal ainda em andamento, as atividades se concentram no salão principal do anexo e no primeiro andar do prédio principal.

 

 

História

O Prédio da Av. Rui Barbosa, 762 tem uma história marcante. Para saber mais, assista aos vídeos da produtora Folguedo:

 

 

UFRJ Colégio Brasileiro de Altos Estudos - UFRJ
Desenvolvido por: TIC/UFRJ