O Colégio Brasileiro de Altos Estudos da Universidade Federal do Rio de Janeiro foi instituído em 7 de setembro de 2004 com o objetivo de reunir os centros de excelência da Universidade e permitir a transversalidade através de um diálogo profícuo entre os diversos campos do saber, espelhando não apenas a fronteira do conhecimento, mas também criando oportunidades de vinculação entre a comunidade acadêmica da Universidade Federal do Rio de Janeiro e toda a sociedade.

 

O Colégio Brasileiro de Altos Estudos tem incentivado, desde sua origem, a cooperação acadêmica, técnica, científica e cultural entre várias universidades ao redor do mundo, possibilitando intercâmbio entre alunos, professores, pesquisadores e corpo técnico por meio do acolhimento de pesquisadores nacionais e internacionais com contribuição relevante para o conhecimento científico, para a cultura e para as artes. Sua atuação tem-se inspirado nas mais variadas experiências internacionais e nacionais de Institutos de Estudos Avançados[1]/. O Colégio Brasileiro de Altos Estudos busca a convergência de esforços para promover um diálogo responsável e crítico por meio de caminhos pedagógicos diversificados, criando oportunidades para a difusão e o aprofundamento de novas epistemologias e linguagens. Tal posicionamento responde à sua missão de desvendar novos caminhos de pesquisa, aproximar diversas visões de mundo, fomentar a pluralidade de pontos de vista científicos e promover a transdisciplinaridade em suas múltiplas dimensões: econômica, social, cultural, ambiental, artística, científica e tecnológica. 

 

O Colégio Brasileiro de Altos Estudos da Universidade Federal do Rio de Janeiro, ao longo do ano de 2019, protagonizou numerosos esforços de popularização de ciência e tecnologia através de seminários, palestras e encontros científicos abertos ao público. [2]/ No ano de 2020, inicia-se o Programa de Cátedras, instituído na criação do Colégio Brasileiro de Altos Estudos pelo Reitor Aloísio Teixeira, que visa dar continuidade aos compromissos e ao engajamento estabelecidos desde então. O Programa de Cátedras, promovido pelo CBAE, consiste num conjunto de atividades acadêmicas, coordenadas por seu titular Catedrático durante um ano [3]/. Esta iniciativa responde à necessidade de se discutir problemáticas urgentes, em variados campos do conhecimento, com o objetivo de olhar para o presente e para o futuro, refletindo sobre os que são desejáveis, e sobre os cenários possíveis.

 

A UFRJ, através de seus docentes, discentes e pesquisadores, gera permanentemente propostas inovadoras para os vários campos do conhecimento. O Programa das Cátedras pretende divulgar, dar voz e atualizar as discussões acerca de temas relevantes para a sociedade, para a academia, para as esferas de governo e para o setor produtivo, especialmente no Rio de Janeiro: as questões da Agenda 20-30; as novas fronteiras do desenvolvimento tecnológico; o futuro da Biologia e da Medicina; as mudanças em curso na matriz energética; os temas sobre a política econômica; a democracia e as desigualdades; a cultura e as artes. 

 

O Colégio Brasileiro de Altos Estudos tem como missão ser efetivamente o Colégio de Altos Estudos da sua comunidade, a Universidade Federal do Rio de Janeiro, vinculado ao seu entorno. Seu Conselho Científico é formado pelos coordenadores dos Programas de Pós-Graduação da UFRJ com conceito seis e sete, pelos coordenadores dos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCTs) da UFRJ e do Rio de Janeiro, e pelos Institutos de Altos Estudos do FOBREAV, além da representação da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e da Academia Brasileira de Ciências (ABC).



[1] O Colégio Brasileiro de Altos Estudos é hoje a sede do FOBREAV (Fórum Brasileiro de Estudos Avançados) e o representa no UBIAS (University-based Institutes for Advanced Studies), instituição internacional que congrega os Institutos de todo o mundo.

[2] O CBAE recebeu, este ano, pesquisadores como: Luc Boltanski e Arnaud Esquerre, Sean Flynn, Elisa Reis, Stevens Rehen, Nelson Barbosa, Randall Wray, Francisco Louçã, Afrânio Garcia, Paulo Nogueira Batista, dentre outros grandes nomes, discutindo problemáticas notavelmente importantes para o cenário global nas perspectivas econômicas, sociais e políticas. O Colégio Brasileiro de Altos Estudos programou e finalizou neste ano a disciplina, aberta a todos os alunos de pós-graduação da UFRJ e do Rio de Janeiro, “Desastres e Mudanças Climáticas”, no segundo semestre de 2019. No primeiro semestre de 2020 estão programadas as Disciplinas “Mudanças Climáticas e Outros Desafios do Antropoceno” e “Disputas pela Memória, Movimentos Sociais e Direitos Humanos”.

 

[3] Foram instituídas as Cátedras: Antonio Dias Leite; Bertha Becker; Carlos Chagas; Carlos Chagas Filho; Celso Furtado; Evaristo de Moraes Filho; Hélio Jaguaribe; Hertha Meyer; Josué de Castro; Juarez Brandão Lopes; Oswaldo Cruz;  Prof Wladimir Besnard & Alm. Paulo Moreira.

 

UFRJ Colégio Brasileiro de Altos Estudos - UFRJ
Desenvolvido por: TIC/UFRJ